Publicado em 21 de junho de 2017 | 14:04
‘Meu vizinho cortou minhas mãos’: a trágica perseguição aos albinos na Tanzânia
mulher-mão-decepada-albinos-perseguição-alto-do-rodrigues-prefeito-carnaubais-joao-camara-assu-macau-porto-do-mangue-areia-branca-mossoró-angicos-jucurutu-pendencias-parnamirim-macaiba-caicó-ipanguassu-itajá-currais-novos-santana-do-matos-natal-governo-do-estado-femurn-mp-emater-barragem-armando-ribeirto-rio-assu- ficha-suja-caixa-2-abelardo-rodrigues-filho-vereador

A vida de Mariam Bandaba mudou radicalmente em uma noite de 2008. Enquanto ela dormia, uma gangue entrou em sua casa e decepou suas mãos. E foi um de seus vizinhos quem a atacou com um facão.

Mariam é albina e vive na Tanzânia, um dos países em que existe a crença de que pessoas que sofrem da falta de pigmentação na pele têm poderes mágicos. 

Partes decepadas são vendidas para “feiticeiros”, que as usam em rituais de “magia”.

Com o auxílio de uma ONG americana, porém, Mariam se reinventou: ela recebeu próteses e treinamento em corte e costura industrial.

Recentemente, ela conseguiu uma máquina, com a qual produz uma linha de suéteres e cachecóis.

BBC

.

BlogdoAlto_CurtoDirigirbem