Publicado em 9 de fevereiro de 2018 | 08:59
JUSTIÇA NEGA PEDIDO DE INDISPONIBILIDADE DE BENS
Ex prefeito Eider Medeiros
Eider

A juíza Maria Cristina Menezes de Paiva Viana, da Comarca de Pendências, indeferiu um pedido de decretação de indisponibilidade dos bens do ex-prefeito do Município de Alto do Rodrigues, Eider Assis de Medeiros, e de duas empresas prestadoras de serviço de limpeza urbana feito pelo Ministério Público Estadual em uma Ação Civil de Improbidade Administrativa.

Para a magistrada que analisou o caso, numa análise inicial do processo, não se mostra possível aferir o excesso referente ao superfaturamento dos gastos realizados, não podendo, consequentemente, ao ser sentir, serem levados em consideração para decretar a indisponibilidade de bens dos réus.

EM TEMPO

O contrato com empresa de limpeza urbana na época do então prefeito Eider Medeiros, era em torno de 128 mil por mês e a limpeza urbana era claramente vista por todos, a cidade de Alto do Rodrigues era limpa e organizada.

Ao assumir a prefeitura em 2013, o atual prefeito Abelardo Filho firmou contrato com valor dobrado, de 128 mil pulou para 250 mil por mes. O mais impressionante é que a cidade padece sob a sujeira, lama nas ruas e o mais grave, enquanto que no contrato na época do prefeito Eider Medeiros haviam cerca de 60 funcionários atuando na área da limpeza urbana, hoje na cidade parece haver pouco mais de 20 funcionários na limpeza urbana, na cidade os garis são conhecidos de todos, são tão poucos fazendo a limpeza da cidade que talvez seja  possível citar os nomes dos mesmos e o setor onde eles se encontram diariamente. Talvez esse disparate no quantitativo de pessoas atuando na limpeza das ruas expliquem porque a cidade está tão suja. 

WhatsApp Image 2017-12-28 at 18.30.51