Publicado em 8 de setembro de 2017 | 10:53
Fantástico: cadê os 100 milhões da Arena das Dunas que estava aqui?
Unfair play no RN
pf-indicia-agripino-por-supostos-desvios-de-verbas -lama-nas-ruas-abelardo-rodrigues-filho-projeto-câmara- alto-do-rodrigues-prefeito-carnaubais-joao-camara-assu-macau-porto-do-mangue-areia-branca-mossoró-angicos-jucurutu-pendencias-parnamirim-macaiba-caicó-ipanguassu-itajá-currais-novos-santana-do-matos-natal-governo-do-estado-femurn-mp-emater-barragem-armando-ribeirto-rio-assu- ficha-suja-caixa-2-abelardo-rodrigues-filho-vereador-renan-melo-magnus-medeiros

O desvio de 100 milhões da Arena das Dunas poderá ser destaque no programa de domingo (10/09), do Fantástico, na rede Globo.

Cometa-se que o repórter secreto do quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui?” visitou a capital do RN na última semana e produziu o material que poderá ir ao ar neste domingo. O repórter teria visitado o hospital Walfredo Gurgel e ter cobrado os milhões supostamente desviados e que não foram investidos na Saúde Pública:

“Arena das Dunas, em Natal. Um estádio construído para a Copa do Mundo. O repórter secreto foi até investigar o desvio de R$ 100 milhões. Enquanto isso, a saúde se encontra em calamidade pública no estado. Por que o dinheiro não está nos hospitais? Por que não está a serviço da população? Afinal, cadê o dinheiro que estava aqui? É denúncia, é #Fantástico. É domingo, depois do Faustão”, destaca a chamada do Fantástico.

José Agripino Maia e Henrique Alves: a suposta ‘bola’ que rolou para os dois

Em relatório final do inquérito sobre desvios na construção da Arena das Dunas, PF atribui ao presidente do DEM os crimes de corrupção passiva qualificada, lavagem de dinheiro e prevaricação. Em agosto 

No fim de agosto deste ano, a PF indiciou o senador Agripino Maia por supostos desvios de verbas da Arena das Dunas.  A Polícia Federal aponta que José Agripino teve participação no “recebimento de vantagens indevidas da empresa OAS em troca de seu auxílio político na liberação de recursos de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) direcionados à construção da Arena das Dunas, em 2013”. O repasse teria sido feito por meio de doações oficiais e repasses em espécie, totalizando pelo menos 2 milhões de reais.

O inquérito se baseou em mensagens extraídas do celular de José Aldelmário Pinheiro, executivo da OAS, nas delações do doleiro Alberto Youssef e seu “homem da mala”, Rafael Angulo Lopez, e de documentos obtidos a partir da quebra do sigilo bancário e fiscal dos investigados.

Já o ex-deputado Henrique Eduardo Alves foi manchete da revista IstoÉ. O “Sheik” da lava-jato  também é acusado de suposto no desvio de dinheiro nas construções das Arenas para a Copa do Mundo no Brasil em 2014.

“As irregularidades que envolvem a Arena das Dunas puseram na mira dos investigadores o ex-ministro Henrique Alves (PMDB-RN) e o senador José Agripino Maia (DEM-RN). Eles teriam recebido dinheiro em troca de ajuda no processo de liberação de financiamentos para a obra”, citava a revista.

Alves continua preso pela Polícia Federal.