Publicado em 8 de setembro de 2017 | 09:53
Você sabia que o estresse é um dos principais motivos para o mau desempenho escolar?
estudar-sem-estresse-dicas-lama-nas-ruas-abelardo-rodrigues-filho-projeto-câmara- alto-do-rodrigues-prefeito-carnaubais-joao-camara-assu-macau-porto-do-mangue-areia-branca-mossoró-angicos-jucurutu-pendencias-parnamirim-macaiba-caicó-ipanguassu-itajá-currais-novos-santana-do-matos-natal-governo-do-estado-femurn-mp-emater-barragem-armando-ribeirto-rio-assu- ficha-suja-caixa-2-abelardo-rodrigues-filho-vereador-renan-melo-magnus-medeiros

Com o avançar da matéria (que tende a ficar mais ‘volumosa’ e complicada) e com as mil e uma distrações que existem nos dias de hoje – e quase todas à distância de um clique -, a simples tarefa de prestar atenção ao estudo pode ser um verdadeiro desafio para os mais novos, que ficam estressados e ansiosos seja por não conseguirem concentrar-se, seja por desejarem um momento de descontração em frente ao computador ou celular.

Estudar sem estresse é possível e são estas as dicas que vão facilitar a vida do seu filho. Tome nota:

1 – Traçar um objetivo realista para a criança, objetivo esse que pode ser relativo a uma nota (servindo de motivação para estudar) ou ao período diário de estudo, que deve ser ponderado tendo em conta a importância da criança e do jovem ter também algum tempo livre.

2 – Planejar o dia. Assim como as aulas estão agendadas, os períodos de estudo devem também ficar previamente programados, de forma que o estudante tenha um rotina de estudo certa e eficaz. A organização é fundamental para o sucesso.

3 – Fazer pausas ao longo do estudo, dando à criança alternativas de relaxamento nesses momentos.

4 – Traçar limites, seja no que diz respeito a horas de estudo ou a disciplinas a estudar em cada dia. O objetivo é que o momento de estudo seja diversificado mas, acima de tudo, consciente e adequado.

5 – Evitar a procrastinação. Se há um trabalho com data de entrega, então deve ser estipulada uma data de concretização, sendo que os pais devem incutir à criança e ao jovem a importância de não deixar para amanhã o que pode ser feito hoje (dando, claro, o exemplo para isso).

6 – Ter uma boa rotina de sono, devendo a criança/jovem dormir pelo menos sete a oito horas por dia, especialmente nas vésperas dos testes ou exames.

7 – Banir os alimentos que alteram o organismo e fazem disparar o cortisol, como todos os que são processados, ricos em sódio, açúcar e gorduras trans e saturadas. Os alimentos de origem vegetal devem ser os protagonistas, sendo fundamental não saltar refeições. 

(India Today)